Os turistas brasileiros devem ganhar novas opções de navios para curtir as férias em alto mar a partir do ano que vem. O anúncio foi feito pelo presidente...


Clipping - Marítimo
Nova geração de navios de cruzeiro deve começar a operar no Brasil em 2018
05/06/2017
Os turistas brasileiros devem ganhar novas opções de navios para curtir as férias em alto mar a partir do ano que vem. O anúncio foi feito pelo presidente da MSC, Pierfrancesco Vago, na tarde deste sábado (3), durante a inauguração do MSC Meraviglia, em Le Havre, no litoral da França. O navio, que nesta temporada operará apenas no Mar Mediterrâneo, ainda levará algum tempo para visitar a América do Sul. Por outro lado, um navio da geração ‘Seaside’, o Seaview, deverá atracar no Porto de Santos em novembro do ano que vem.

O mercado sulamericano segue sendo extremamente importante para a empresa. Já nesta temporada, o número de navios atracados no Brasil crescerá. Além de Santa Catarina entrar na rota da empresa, a armadora terá dois navios que partirão do Porto de Santos e um do Rio de Janeiro, aumentando a oferta em mais de 40% se comparado com o número do ano passado. O G1 conversou com o CEO da empresa, Gianni Onorato, que se mostrou otimista com a recuperação da economia e do mercado brasileiro.

“O Brasil é o meu país preferido. Sabemos das dificuldades enfrentadas, mas acreditamos em uma recuperação. Para essa temporada, já teremos um crescimento na nossa oferta. Para o ano que vem traremos surpresas. Teremos um navio novinho, recém-lançado, em águas brasileiras. Acreditamos que esse navio é ideal para o povo brasileiro já que tem muito espaço externo. O brasileiro gosta de liberdade e de muito sol. Temos muita confiança nisso”, diz.

Durante a inauguração do navio, um grupo artístico da Unicef fez uma apresentação de canto e dança. Depois o ator e cantor Patrick Bruel fez uma apresentação. Também na inauguração, a atriz Sophia Louren, madrinha do navio, fez um pronunciamento. "Desejo que todos do MSC Meraviglia façam sempre uma boa viagem", disse a atriz.

Com o lançamento deste sábado, o Meraviglia passa a ser o maior navio da empresa. São mais de 33 mil metros quadrados de área comum em um espaço de 315 metros de comprimento. No total, o navio da nova frota poderá abrigar, ao mesmo tempo, cerca de 5.700 hóspedes, que poderão aproveitar uma das quase 2.300 cabines e experiências gastronômicas em 12 restaurantes diferentes, espalhados por várias partes do navio.

Segundo o Diretor Geral da MSC Cruzeiros no Brasil, Adrian Ursilli, o mercado brasileiro tem tudo para voltar a ser a ‘menina dos olhos’ da empresa. De acordo com ele, apesar da retração econômica dos últimos anos, a MSC nunca pensou em tirar o país do foco. “O Meraviglia conta com a mais recente e avançada tecnologia da indústria. Ele foi projetado para atender todas as necessidades de seus hóspedes. “Estamos sempre avaliando novas oportunidades para o Brasil. Mantemos o compromisso de trazer nossas embarcações mais modernas. Até 2026 inauguraremos 11 novos megatransatlânticos de três novas gerações”, revela.

De acordo com o presidente da armadora, Pierfrancesco Vago, o mercado de cruzeiros segue em constante evolução. Ele ressalta, porém, que muitas pessoas não sabe exatamente como as viagens funcionam e nem imaginam que, muitas vezes, a embarcação acaba se tornando uma atração até mais empolgante do que o local de destino, já que existem passageiros que preferem permanecer no navio em vez de desembarcar em todos os portos de parada. "Estamos em busca de cruzeiros cada vez mais globais. Temos totais condições de adaptar o produto ao cliente. Sempre queremos levar para as pessoas coisas que elas realmente gostem e tenham a ver com a nacionalidade delas", diz.

De acordo com os executivos da MSC, os altos impostos e a carga tributária brasileira dificultam bastante a operação dos navios e, muitas vezes, acabam tornando o preço das cabines mais caros do que na maior parte dos outros lugares do planeta. Mesmo assim, a empresa segue tentando inovar para levar propostas atrativas ao consumidor. "Nosso objetivo não era construir o maior, e sim um navio com muitas propostas e oportunidades que pudesse atender todo o tipo de público. Podemos garantir que estamos prontos para entrar com esse novo navio em qualquer porto do mundo. O Meraviglia, por exemplo, estará no Caribe na temporada 2019 – 2020. Obviamente o Brasil precisa investir no setor portuário. A começar por Santos, que é por onde passa a maior parte dos nossos navios", explica Onorato.

O navio

Além das já tradicionais atrações encontradas pelos hóspedes de navios, o Meraviglia aposta na tecnologia como um diferencial para o mercado. A empresa desenvolveu um aplicativo, batizado de ‘MSC For Me’, que promete tornar a viagem mais agradável e segura, principalmente para quem costuma embarcar com crianças.

Assim que embarcam no navio, os hóspedes recebem uma pulseira com um dispositivo onde é possível rastrear qualquer pessoa em qualquer área do navio. Um mapa digital ajuda os hóspedes com recomendações e orientações sobre as atividades que ocorrem a bordo, tornando mais fácil a montagem da programação dos passageiros, além de permitir reservas.

"A ideia do Meraviglia em diante é oferecer conectividade. Queremos ter uma pegada mais social, sempre conectados. O aplicativo é baixado antes da viagem. Você pode montar a sua agenda pessoal, colocar suas necessidades e vários detalhes. É realmente algo muito agradável e que traz conforto e segurança aos usuários. Quem tiver dificuldade para usar será orientado. O aplicativo foi desenvolvido a serviço da hospitalidade", disse Onorato.

Outra inovação que chega com o Meraviglia é um teto totalmente feito de LED localizado em um dos corredores principais da embarcação. São 80 metros de tecnologia que funcionam 24 horas por dia mudando a paisagem do navio e tornando a área a preferida para as fotos de recordações dos turistas que aproveitam a embarcação.

Uma das atrações mais requisitas pelos passageiros é uma chocolateria em alto mar. O local, assinado pelo premiado chef francês Jean-Philippe Maury, não é simplesmente uma loja, e sim uma espécie de mini-fábrica de chocolates. "Pela primeira vez na história fizemos uma chocolataria em um navio. A ideia é mostrar como os produtos são feitos. Isso é divertido e pedagógico. Também é um desafio deixar o chocolate no ponto já que o barco balança e tem umidade. Por isso inovamos com um novo método e, inclusive, as pessoas podem desenhar o próprio chocolate", explica Jean-Philippe.

Outra novidade foi anunciada por Daniel Lamarre, chefe-executivo do Cirque Du Soleil. "Pela primeira vez na história da companhia elaboramos dois espetáculos para um mesmo navio. Isso foi feito para atender a necessidade dos nossos clientes. Para nós, é um orgulho fazer parte e ajudar a escrever mais um capítulo da história. Não tenho dúvidas que as imagens e apresentações valerão mais do que qualquer palavra", afirmou.

Para o futuro, o presidente da empresa prometeu surpreender ainda mais, transformando uma das partes dos novos navios em um museu aberto aos hóspedes. "Muito se fala na democratização do luxo. Estamos projetando, para 2020, um novo navio um pouco maior do que esse. A nossa ideia é abrigar um museu minimalista com muitas obras de arte. As conversas já estão acontecendo para recebermos obras. Já falamos, por exemplo, com o Museu do Louvre, na França, e com algumas galerias italianas", finaliza Vago.
As notícias publicadas no clipping refletem as opiniões dos seus respectivos autores e não do Escritório. Sendo o clipping apenas uma reprodução das notícias extraídas de fontes diversas, o Escritório não se responsabiliza pelas informações publicadas ou por danos causados pelo uso dessas informações.
Fonte:  Portos e Navios  Link direto:  Clique aqui
Leia mais notícias sobre:  Direito marítimo
Voltar
  Últimas Datas
18/08/2017
17/08/2017
16/08/2017
15/08/2017
14/08/2017
11/08/2017
10/08/2017
09/08/2017
08/08/2017
07/08/2017
04/08/2017
03/08/2017
02/08/2017
01/08/2017
31/07/2017

Para localizar um Clipping específico, utilize o formulário abaixo:

Busca por assunto / Busca por data
Infront Informatização Empresarial